AMO!, Eu por eu mesma, Família

Relicário

2010 foi um ano de mudanças. Comecei como repórter da Radioweb e trabalhando muito. Verão, calor, coletivas, Yeda, Palácio, Assembleia, deputados, polícia. Uma mistura diferente e que me conquistou.
Depois foi a vez de embarcar para Londres e ser seduzida pela cultura inglesa. Passei 7 maravilhosos meses na terra da Rainha. Conheci também Paris, Lisboa, Madri, Roma e Amsterdã. Viagens incríveis e cheias de descobertas.
Voltei para o Brasil cheia de saudade, mas trouxe um pedacinho dos bons momentos londrinos para casa, o Fábio. Além dele, veio um bônus muito especial: o bebê.
Agora somos um casal que aguarda ansiosamente o nascimento do Vítor, em abril. Vivemos entre consultas médicas, exames, cuidados, planos, sonhos. Olhamos para as roupas pequeninas e imaginamos o nosso nenenzinho usando cada uma delas. Sentimos cada chute com uma euforia digna de pais de primeira viagem.
E é assim que recebemos 2011: com nervosismo, excitação e muita expectativa. Amém!

Anúncios
AMO!, Bye Brazil, Londres, Meu Porto Alegre, Saudades de Venâncio, tempo

2 meses

Quando menos se espera tudo acaba.
Quando a noite completa o mundo desaba.

Só mais 2 meses pra sentir o cheiro de Venâncio, abraçar a Rafa até o corpo cansar, correr até a Preta, ouvir a mãe gritar, mostrar para o Caio as fotos da viagem, receber um abraço doído de mágoa do pai, cheirar a nega-maluca da vó Ica, contar sobre os lugares que conheci pro vô Adão, entregar os presentes do Arthurzinho, me encaixar nos braços da vó Tila, jogar conversa fora com a tia Bi, sair com o Muca e a Grê, fazer nada com a Édina, a Laura W. e a Di, beber com a Laura S. e com a Camila, ir pro Beco com o Marcus e Cia., jantar e fofocar com a Aline R. e com a Raquel, visitar a Radioweb, tomar café na Famecos. Só mais 2 meses…

AMO!, Bye Brazil

Forever and ever

A falta do óculos não colaborou. Eu precisava enxergar aqueles rostos juntos pela última vez. Sim. Foi a última vez que sentamos as cinco mademoiselles. Eu no chão esparramada entre malas, necessaires e objetos perdidos. A Laura mais adiante dobrando cuidadosamente as minhas roupas. A Édina na cama rindo das 100 folhas de ofício que eu PRECISO levar para Londres. A Di me alcançando as pastas escondidas na caixa maldita. A Camila coordenando o playlist.
Não consigo expressar a dor antecipada que sinto de ter que deixar estas meninas. Cada uma com seu jeitinho particular. Com suas palavras duras. Com a amizade confortante.
Eu vou desejar a presença de cada uma de vocês em todos os lugares sensacionais que eu for. E vou sentir uma falta danada de tê-las por perto nos momentos difíceis. Afinal, vocês sabem o que dizer, mesmo que não seja o que eu espero ouvir. É aquele papo de família: “É pro teu bem”.
Então, cuidem-se aqui e mandem notícias. Quero todas reunidas na frente do computador pra me contar as últimas de Venâncio. Mesmo longe vou odiar quem partir o coração de vocês. Vou torcer pelos sonhos de cada uma. Vou amá-las como se a gente nunca tivesse se separado!

See you, girls!


AMO!, Blush, Bye Brazil, Eu por eu mesma, Just me, Londres, Observações

Blush*

Amizade é algo engraçado. Foge das definições. Não percorre os limites.
Eu achava que os grandes amigos da minha vida já estavam escolhidos. Que seriam os mesmos, sempre lá guardadinhos na minha estante. Aqueles de Venâncio, de longa data, do colégio, da infância. Afinal, assim seria até mais prático. Já conhecia todos os defeitos, sabia o que esperar ou o que não esperar de cada um. Tinha manual de instruções para rápidas consultas.
Contudo, a história teve outro rumo. Na faculdade conheci as mimosas que hoje considero eternas. As Blush girls que me conquistaram.
O Blush “nasceu” na Radiofam, rádio da Famecos. A ideia era um programa informal, de bate papo entre meninas. Mas a coisa foi crescendo. Não o programa, mas a amizade entre as ladies que sentavam duas vezes por semana no estúdio para lançar altas teorias sobre tudo que era assunto.
E o nome para o grupinho ficou, mesmo depois da gente abandonar a Radiofam.
Agora deixamos também a Famecos, mas o que existe entre nós de jeito nenhum!

*

A Giulinha Beauty sempre foi a figura que só quem conhece sabe. Uma madame de primeira catiguria! A oncinha girl em pessoa.
A Bruka é um agito só. Total alto astral, bom humor. Ela sabe que comigo a regra é mais e nunca se engana no que esperar de mim.
A Jú sempre foi louca, alienada, esquecida. Ela que alimentou na gente #Londonfeelings. Agora estamos de malas prontas para ir encontrar a maluca pelo mundo.
A Paula é quase o meu oposto. O que tenho de doida ela tem de moderada. Contida. Chega a ser tímida. Apesar disso, é uma pessoa de personalidade forte, virtudes marcantes. E é quem vai ter que me balancear na viagem. Segurar as pontas…

*

Ontem tivemos um encontro Blush. Reduzido, apenas eu, Bruka e Paula. Giulia está em Erechim, nos enchendo de orgulho. Jú está aprontando em Londres.

*

Tá. Tudo isso é para dizer que eu amo cada uma dessas criaturas. Giulia, brilha muito aqui. Bruka, vamos esperar a tua visita. Jú e Paula, Londres é nossa!

*





AMO!

Uma das pessoas mais incríveis…

Eu sabia que ia trancar. Fui traída pelas palavras. Logo elas que nunca me faltam, pelo contrário, costumam sobrar na minha boca. Mas eu travei ali. Sentada no banco de oncinha do carro do Marcus. Olhando pra ele com uma cara de paisagem. Com os olhos clamando lágrimas.
Comecei dizendo que ele é muito importante pra mim. Que não cansa de me surpreender. Que eu o admiro pela pessoa e pelo profissional que é. Então parei.
Faltou dizer que eu nunca vou esquecer o dia que ele me ensinou pelo Nextel as diferenças entre a Brigada Militar e a Polícia Civil. Também vou lembrar eternamente da gente dançando como loucos no momento Beco da minha formatura, quase de manhã já. E como deixar de lado a madrugada que ele me raptou na saída do meu aniversário para entregar um presente maravilhoso?
Faltou ainda citar que eu quero ter as características do Marcus repórter quando eu “crescer”. A curiosidade, a capacidade de explicar da forma mais simples possível o pepino político mais complexo, as metáforas que brotam nas observações mais singelas da vida.
Marcus, eu nunca vou te esquecer e não vou cansar de repetir isso. Prometo postal de cada lugar fantástico que eu pisar. Vou acreditar no que tu me diz cada vez que a gente se encontra: esse tempo vai passar rápido. Vai sim, eu sei. Talvez mais pra mim do que pra ti. E daí eu vou estar de volta pra gente arrasar no Beco, nas redações, na vida. Vou sentir a tua falta!!!