Eu por eu mesma, Família, Just me, Lições, Observações, Saudades de Venâncio

Previsão do tempo

Hoje acordei com todas as saudades latentes. Uma dor apertada, sofrida de sentir. Quis chorar, mas as lágrimas estavam presas. Não fizeram a gentileza de sair e me aliviar. Não sei o que me faria sentir melhor. Na verdade eu sei. Mas não quero aceitar que estou fracassando no meu plano perfeito. Queria a Carol aqui para me xingar um pouco. Praga que se mandou para o Canadá. E me deixou aqui… Cheia de perguntas. A Carol sempre tinha respostas para esses dias assim, de sol e vento. Não gosto de dias assim. O sol tenta aquecer, porém o vento insiste em atrapalhar o calor que quer penetrar na pele. O vento que bagunça tudo. Tá aí, é culpa do vento. Ele que misturou os meus sentimentos e trouxe de volta o que tinha guardado no fundo do meu coração. Quero a sobriedade do sol sem vento de novo. E não ter mais essas variações climáticas na alma. Porque ainda dói.

Anúncios
Eu por eu mesma, Just me, Observações, Saudades de Venâncio

Sim. Eu estou.

Com dúvidas.
Com medo.
Com frio.
Venta. E como venta.
Com saudade de casa.
Da Rafa.
Da Preta.
Do povo.
Do afilhado.
Da lista toda de Venâncio.
De Venâncio.
Do cheiro de Venâncio.
Com vontade de dançar.
De dançar muito.
De dançar muito com as gurias.
Putz. As gurias.
Com uma pilha de coisas.
As malditas coisas “por fazer”.
Com uma vontade tremenda de mudar de casa.
De ter A MINHA casa.
De ter o meu silêncio.
De fazer o meu barulho.
Sem ninguém ouvir.
Com o frio na barriga.
Com as bochechas rosadas.
Com as mãos suadas.
Com os três itens acima juntos.
Sim. Eu estou.
Apaixonada.
Querendo mais.
Querendo além.
Querendo você.
Sim. Eu estou.
É definitivo.
Que seja eterno enquanto dure.

Amém.

AMO!, Just me, Lições, Observações

Pequenas lições

Primeiro sábado de frio. O sol está tímido, mas brilha de um jeito especial. A grama convida para sentir o seu cheiro de orvalho fresco da manhã. O céu não apresenta uma nuvem sequer. Oferece um singelo azul, um azul cintilante.
Acordei como se tivesse dormido por cem dias. Milhares de horas em uma realidade paralela. Tenho certeza que abri os olhos com o brilho que ele sempre se refere. Senti a brisa gelada. Gozei da minha preguiça.
Entendi que mais importante do que ficar junto o tempo todo é saber sentir saudade. “Volto te querendo mais…”.
Agora eu sei.

“If every simple song I wrote to you
Would take your breath away
I’d write it all
Even more in love with me you’d fall
We’d have it all”

(hey there delilah – plain white t’s)

Coisas que me incomodam, Eu por eu mesma

Paciência

A desculpa que mais ouço para qualquer problema é: não tenho tempo. Pois bem, eu também não. Trabalho, estudo e resolvo meus problemas emocionais. Sem citar no fato de ter que administrar periodicamente o meu humor. É difícil. Não tenho tempo.
Fico dividida entre duas cidades. Dependem de mim um pai, uma mãe, dois irmãos, uma cadela, três avós, um afilhado, meia dúzia de primos, quatro amigas de infância, quatro amigas da faculdade, alguns colegas de aula e outros de trabalho, um grupo de rádio, um grupo de tele, dois chefes, um apartamento e uma perna trombosada. Sobra tempo?
Na verdade, não consigo nem organizar meus minutos com a listinha acima. Tento dosar e atender tudo e todos. Mas eu falho…
Lembrei de uma música…

“O mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência”

(Paciência, Zeca Baleiro)

Enfim, desabafos de alguém que se sente impotente.

Eu por eu mesma, Poesia

Pés gelados, coração quente

Os casacos já foram retirados da parte alta do armário. O cobertor está nos pés da cama, para qualquer emergência. Uma manta no cantinho do sofá. Sintomas da chegada do inverno.
Gosto de sentir o primeiro frio do ano. Ele enche de charme as tardes de sol. Preenche as noites geladas com o seu silêncio.
Melhor ainda chegar nessa estação com o coração aquecido. Ou pelo menos com a expectativa de uma temporada cheia de descobertas e novos sentimentos.

Desejos

Desejo a você
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua Cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não Ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu

Carlos Drummond de Andrade