Eu por eu mesma, Jornalismo, Just me, Monografia, Mundo jornalístico, Observações, Radioweb, Record

Retrô!

O ano de 2009 foi abençoado. Um período de conquistas. Também foi complicado, difícil. Mas dei a volta por cima. E aqui estou: formada, apaixonada e cheia de planos.
Tudo começou em uma redação. Plantão cruel. Das 18hrs do dia 31 até às 6hrs do dia 1º. Eu e o Paulo, querido porteiro da Record, na TV. Em Porto Alegre a equipe do amado vizinho Olegário. Em Tramandaí o Bernardo.
Na verdade o trabalho foi o que mais marcou neste ano. Completamente intenso. Dediquei-me por completo. Quando percebi que estava no meu limite não aguentei e pedi demissão.
Sou assim, não gosto de fazer nada pela metade. Deixei a TV e mergulhei na monografia. Foram muitas e muitas horas de leitura e no computador. Ouvir a trilha do Jornal Nacional ou do Jornal da Record era sinônimo de sentar e escrever. Fico feliz de ter tido êxito e de ter feito um ótimo trabalho de conclusão.
Durante o TCC conheci o que é sentir dor. Uma dor limitadora. Uma dor que faz o corpo parar mesmo com a cabeça a mil. A tendinite tentou me derrubar. Foram necessárias muitas manhãs na fisioterapia para suportar e conseguir terminar a mono. Sem falar nas bolsas de gelo…
O ano marcou também um novo momento. Comecei a trabalhar na Radioweb. Conheci profissionais e colegas incríveis. Descobri-me repórter. Na verdade… aprendi a ser repórter. Senti viva a paixão pela profissão que escolhi para a minha vida.
E em 2009 eu amei. Ao extremo. Como ele diz, eu deixei as emoções invadirem o peito, sem medo. Passamos por muitas fases. Chorei, sofri, me escabelei. Porém, fico feliz de terminar dezembro de coração aberto, feliz. Nada como estar apaixonada e saber lidar com esse amor. Pois agora eu aprendi.

Deixo então meus sinceros votos de felicidade para 2010. Que meus familiares e amigos tenham saúde e força de vontade. O resto fica por conta de cada um!

E que venha London, baby!

Anúncios
Agressividades

Então tá

Descobri. É assim que vai ser. Tardes longas. Sábados condenados. Tendinite aguda.
Pois é, comecei a monografia.
Mais uma descoberta! Tenho o corpo de uma idosa. Sim, vai sentir tanta dor assim lá na p*** que p****. Tornozelo podre. Costas condenadas. Braço inútil.
O post termina aqui, pois estou sem força para digitar.

Sim, doutor, eu estou apoiando o braço direitinho.
Aff.

Jornalismo, Just me, Mundo jornalístico, Observações, Record

10 hrs e 44 min

Tempo exato que estou na TV. Dobrei para meu colega hoje.
Geralmente quando fico tantas horas no trabalho o sono bate. O mau-humor também. Sem falar na dor. Costas, braços, pernas. Agonias corporais coordenadas.
Mas hoje o tempo passou. As coisas foram acontecendo e quando eu vi o pessoal da manhã já estava chegando.
A maratona alimentar foi longa. Começou com pizza. Foi para balas. Chocolate. Chocolate quente. Baguete de frango. Pipoca. Bolacha de maizena. Trident. Fanta laranja. Não necessariamente nessa ordem. Porém, tudo isso, sim senhores.
A companhia chegava e ia embora…
E eu permanecia…
Sem sono…
Sem novidades…
Só faltam mais 69 minutos.
Agora 68.