Eu por eu mesma

Equacionando

Tudo começa com saudade.
Termina do mesmo jeito.
Nem que seja para dizer o que não se sente.
Mas tudo se resume assim. Com poucas palavras. Que soam tolas. Soam distantes. Ao mesmo tempo tão fortes.
As referências mudam. Tudo se confunde.
Como a gente diz aqui, quando se está longe de casa as emoções são multiplicadas… cinco, seis vezes. E o que acontece quando trata-se de alguém ao cubo? A matemática complica e o único resultado explicável aperta no coração.
Aperta.
Aperta.
Dói.

* De acordo com o site Wikipédia: As equações normalmente propõem um problema sobre sua validade. Grosseiramente falando, uma equação é composta por incógnitas e coeficientes. Os coeficientes são entidades matemáticas conhecidas. Resolver a equação, ou seja, o problema por ela proposto, consiste em determinar quais são os elementos de um determinado conjunto: (o das possíveis soluções) que tornam a equação verdadeira.

Minha equação anda cheia de incógnitas…

Anúncios
Eu por eu mesma, Família, Just me, Lições, Observações, Saudades de Venâncio

Previsão do tempo

Hoje acordei com todas as saudades latentes. Uma dor apertada, sofrida de sentir. Quis chorar, mas as lágrimas estavam presas. Não fizeram a gentileza de sair e me aliviar. Não sei o que me faria sentir melhor. Na verdade eu sei. Mas não quero aceitar que estou fracassando no meu plano perfeito. Queria a Carol aqui para me xingar um pouco. Praga que se mandou para o Canadá. E me deixou aqui… Cheia de perguntas. A Carol sempre tinha respostas para esses dias assim, de sol e vento. Não gosto de dias assim. O sol tenta aquecer, porém o vento insiste em atrapalhar o calor que quer penetrar na pele. O vento que bagunça tudo. Tá aí, é culpa do vento. Ele que misturou os meus sentimentos e trouxe de volta o que tinha guardado no fundo do meu coração. Quero a sobriedade do sol sem vento de novo. E não ter mais essas variações climáticas na alma. Porque ainda dói.

Eu por eu mesma

Tarde

Ela bateu a porta do carro e não quis olhar para trás. Abraçou a bolsa com toda força que restava. Queria esmagar os sonhos guardados ali dentro. Queria que eles se dissolvessem com seu amor e seu ódio.
Ele ficou parado por alguns segundos com os olhos úmidos de culpa. Olhou para ela pelo espelho. Percebeu seus passos apressados e imaginou que ela finalmente iria chorar, pois havia se segurado durante toda conversa dos dois. Estava enganado.
Ela não deixou nenhuma lágrima insistente cair. Atravessou a rua se equilibrando entre o movimento. Trabalhou como se nada tivesse acontecido.
Ele foi para o seu trabalho perdido no tempo. Levou o papel que ela pediu e entregou como solicitado. Carregou a folha como se segurasse o que restou dela por entre os dedos de unhas roídas.
Ela deixou o trabalho de cabeça baixa. Teve que abrir a bolsa para pegar a carteira. Ficou nervosa. Os sonhos estavam livres, escaparam. Não tinham sido esmagados e flutuaram. O choro chegou. E ela teve que partir. Mas desta vez, foi embora sem limpar as lágrimas. Não tinha mais vergonha de sofrer, pois agora seria pela última vez. Era o que esperava, de coração.

Coisas que me incomodam, Eu por eu mesma, Just me, Observações

Querendo saudade

Até que ponto o amor se salva em uma relação? O amor-próprio ajuda ou atrapalha? Onde entra o orgulho? Até onde a gente deve se permitir?
Cheia de dúvidas e sentimentos contraditórios. Com medo de agir e me arrepender depois. Com medo de esperar e terminar frustrada.
Nada como uma semana longe. Que o tempo indique o caminho. E acalme o meu coração que tá cansado…

Coisas que me incomodam

Momento descarrega

– Tenho um dos piores defeitos do mundo: ansiedade. Fico me remoendo por respostas. Não sei esperar. Sou um ser sem nenhuma paciência.
Minha vida está um turbilhão. É fim de semestre (do penúltimo semestre de uma faculdade que não é reconhecida, afinal, qualquer um pode ser jornalista – ok, assunto para outro post). É a rotina hard news. É o coração agitado.
PRECISO me acalmar. Senão, vou enlouquecer. Pior ainda, enlouquecer todos ao meu redor. #surtadapordemais

– É tão engraçado encontrar na vida pessoas diferentes da gente. A tarefa de “se colocar no lugar do outro” fica ainda mais interessante (intrigante, por vezes). #dordecotovelototal

– A frase “não sei como lidar com isso” está me atormentando.
Eu também não sei lidar com certas coisas. Uma delas, por exemplo, a tua falta. #drama.com

Eu por eu mesma, Poesia

Pés gelados, coração quente

Os casacos já foram retirados da parte alta do armário. O cobertor está nos pés da cama, para qualquer emergência. Uma manta no cantinho do sofá. Sintomas da chegada do inverno.
Gosto de sentir o primeiro frio do ano. Ele enche de charme as tardes de sol. Preenche as noites geladas com o seu silêncio.
Melhor ainda chegar nessa estação com o coração aquecido. Ou pelo menos com a expectativa de uma temporada cheia de descobertas e novos sentimentos.

Desejos

Desejo a você
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua Cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não Ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu

Carlos Drummond de Andrade